Meningioma

Meningioma: um dos tumores intracranianos mais comuns

Por: Antônio Prates Jr, Neurocirurgião em Belo Horizonte e região metropolitana de BH

O meningioma é um tipo de tumor originado nas meninges (membranas que envolvem o cérebro e a medula), especificamente na meninge chamada de aracnóide. Na grande maioria das vezes, ele é um tumor benigno (apenas 1,7% é maligno) e de crescimento lento . É o tumor intracraniano mais comum. É estimado que cerca de 3% da população acima de 60 anos tenha um meningioma. Além disso, existe um predileção pelo sexo feminino.

Na maioria das vezes, o meningioma é assintomático, mas pode originar diferentes sintomas de acordo com a sua localização, desde crise epiléticas, até cefaleia, déficits neurológicos (como perda de força ou sensibilidade em um lado do corpo, voz “embolada”), perda de olfato, alteração visual, alteração de comportamento, entre vários outros. O diagnóstico geralmente é feito por tomografia de crânio com contraste ou ressonância magnética de encéfalo, solicitada devido aos sintomas do próprio meningioma ou por outros sintomas não relacionados diretamente.

Quanto ao tratamento, varia de acordo com vários fatores. Os principais são a presença de sintomas, tamanho, localização e tendência de crescimento. Geralmente, meningiomas sintomáticos ou em crescimento devem ser tratados, caso o paciente tenha condição clínica para tal. Para aqueles casos sem sintomas, pode ser realizado o acompanhamento por exames de imagem. O tratamento do meningioma é eminentemente cirúrgico. O objetivo da cirurgia é, se possível, retirar todo o tumor e preferencialmente a dura-máter (meninge rígida que envolve o cérebro) e osso em contato com o tumor. A extensão da remoção do tumor é o fator mais importante para se evitar a recorrência (volta do tumor).

Outra modalidade de tratamento é a radioterapia, importante para casos com várias recorrências, malignos ou que não possam ser submetidos a cirurgia. A radiocirurgia (tipo de radioterapia em que se usa uma alta dose de radiação direcionada a um ponto marcado por coordenadas ortogonais) tambem pode ser usada em caso de tumores residuais e no tratamento inicial de tumores muito pequenos em áreas de difícil acesso cirúrgico.

Procure um Neurocirurgião para tirar suas dúvidas. Veja mais informações.

Dr Antônio Prates Jr, atuação em Belo Horizonte e região metropolitana de BH.